Uma incômoda Visitante!


    CÓLICA MENSTRUAL:
   
    A menstruação é um episódio comum na vida da mulher. Inicia-se ao redor dos 12 a 13 anos de idade e continua até a menopausa, que ocorre, entre as brasileiras, na faixa dos 47 aos 52 anos.

    No início ou pouco antes do período menstrual, é considerado normal o aparecimento de cólicas de intensidade leve, que geralmente duram de um a dois dias.

    Esse sintoma comum atinge mais de 50% das mulheres, e em cerca de 10% delas, a cólica é intensa.


    ORIGEM

    A cólica menstrual (ou dismenorréia) pode ter início logo após a primeira menstruação, e um dos principais motivos é a presença de substâncias chamadas prostaglandinas (produzidas pelo útero) que, quando aparecem em quantidade acima do normal, provocam contrações uterinas muito intensas (cólicas), semelhantes às dores do parto.

    Além dessa causa, algumas afecções ginecológicas (tumores do útero, infecções ginecológicas, uso de DIU (Dispositivo Intra-Uterino usado para evitar a gravidez etc.), que normalmente ocorrem em mulheres adultas, também podem causar fortes cólicas menstruais.

    Como se pode observar, a cólica menstrual pode ter várias origens; portanto, um constante acompanhamento médico é fundamental.


    SINTOMAS E REAÇÕES

    Os sintomas mais comuns que acompanham as cólicas menstruais são dores de cabeça, enjôos, vômitos, diarréias, dores na parte inferior das costas, dores nas pernas, fadiga, nervosismo e tontura.

    As conseqüências são óbvias para o dia-a-dia da mulher: atrapalham sua rotina de trabalho e interferem na sua qualidade de vida.

    Segundo pesquisas realizadas em todo o mundo, cerca de 10% das mulheres que sofrem com cólicas menstruais ficam incapacitadas temporariamente para as suas atividades durante um ou dois dias no mês. Algumas delas, embora compareçam ao local de trabalho, apresentam produtividade abaixo da média.

    A cólica menstrual pode trazer perturbações psicológicas, principalmente no período pré-menstrual (síndrome da TPM - Tensão Pré-Menstrual): forte ansiedade e impactos emocionais nas relações conjugais, familiares e profissionais.


    TRATAMENTO


    Para aliviar ou eliminar as dores que surgem durante a crise de cólica menstrual, os médicos recomendam repouso, dietas leves, aplicação de bolsa de água quente no abdômen e uso de analgésicos e outros medicamentos antiinflamatórios.

    Além dessas recomendações, também é aconselhável a adoção de ações preventivas, tais como a prática de atividade física, ginástica, lazer, psicoterapia de apoio e a conscientização da paciente de que não se trata de uma doença grave, mas de uma condição facilmente controlável.

    Atualmente, o melhor tratamento para controlar as dores da cólica menstrual é o uso de antiinflamatórios de nova geração. Eles têm uma grande vantagem em relação aos antiinflamatórios tradicionais: o seu uso não causa efeitos colaterais no aparelho digestivo, praticamente eliminando os problemas gástricos tão comuns pelo uso contínuo dos antiinflamatórios tradicionais.

    Ao que tudo indica, essa solução eficaz, com mínimos efeitos colaterais, pode reduzir as cólicas menstruais; mas, para que o tratamento seja bem sucedido, não esqueça: o acompanhamento de um médico é necessário.

FONTE/AUTOR: Redaçao do Saúde Informaçoes
5 comentários

Postagens mais visitadas